Para aumentar os níveis de vitamina D, é possível, após ser prescrito, tomar suplementos de vitamina D ou dietéticos ou efetuar uma dieta especial. Dependendo da classificação, os níveis de vitamina D por preparação são diferentes. 


A toma de suplementos de vitamina D, com doses até 1.000 UI (unidades internacionais) não necessita de receita médica. É efetuada a distinção entre vitamina D3 (vitamina D animal da lã/lanolina, colecalciferol) e a vitamina D2 (vitamina D vegetal de cogumelos, ergocalciferol). Até as dietas equilibradas podem conter vitamina D. 


A toma diária de vitamina D recomendada pela Sociedade Nutricional Alemã (DGE) é de 800 UI. Este valor parece demasiado baixo ao analisar uma situação dum estudo. A Sociedade de Pediatria Canadense recomenda 2.000 UI por dia para as gestantes. O Instituto Federal Alemão para a Avaliação dos Riscos (BfR) cita 2.000 UI como o limite superior para a ingestão diária. 


Os estudos demonstraram, que com a toma suplementar de 2.000 UI, podem ser estabilizados os níveis de vitamina D. Os médicos ortomoleculares recomendam até 5.000 UI. No entanto, uma correção dum nível reduzido de vitamina D geralmente não é bem-sucedida. Para além disso, primeiro deve aumentarem-se as reservas. 


Terapeuticamente, a vitamina D é administrada em doses até 50.000 UI. 


Para otimizar as reservas de toda a vitamina D, influenciando positivamente as funções fisiológicas, deve ter-se uma concentração sanguínea de 40-60 ng/mL. Se a concentração de vitamina D for bastante reduzida, o nível pode não ser suficientemente aumentado pela administração de preparações de venda livre. Nestes casos, deve consultar um médico e o nível de vitamina D deve ser verificado regularmente.